(Fechar X)
Promoção Produtos Importados Br
Projeto Pornô
Publicidade1
Projeto Pornô
   
Comprar Produtos Adultos Importados (Embalagem Discreta)
Home
Vídeos
Fotos
Artigos
Contos Eróticos
Anuncie Anuncie
Parceria Parceria
Home   

Contos Eróticos

  

Anal

Contos Eróticos  

De Olhos Fechados...

  Tamanho da Fonte:
Diminui Tamanho Fonte -    Aumenta Tamanho Fonte+
Imprimir Imprimir

Baiúchinha, por ter pai baiano e mãe gaúcha.

Empresária, 25 anos, 1,72m, 59 Kg, branquinha dos cabelos castanhos na cintura bem fina (devido ao tamanho do meu bumbum). Me considero uma pessoa tranquila e estou no oitavo semestre do curso de direito, uma das minhas paixões. Toco piano desde os 11 anos de idade e danço, há mais de 12 anos, como hobby.

Desde os meus 13 anos, quando me masturbei pela primeira vez, seguindo as vontades do meu corpo, descobri como adoro gozar gostoso. Namorei durante 7 anos com uma única pessoa e sempre fui bem tarada entre quatro paredes, não realizando algumas fantasias naquela época, devido ao conservadorismo do meu ex namorado.

Conheci uma pessoa na internet, que vou chamá-lo de Dom e me apaixonei de verdade. O Dom era um advogado, que morava em SP, alto, magro, cabelos castanhos claros e olhos verdes. Há um bom tempo, depois do término do meu namoro, não sentia nada tão bonito, como senti durante a minha história com ele. Não imaginei que desejaria uma pessoa daquela maneira, mesmo estando tão distante. Nunca pensei...que poderia querer e desejar alguém, a ponto de não me interessar por outros homens durante mais de um ano. Mas como todos os seres do sexo masculino fazem, um dia.. o Dom foi embora e eu me machuquei de verdade. A saudade doía de uma forma, que eu fiquei magoada comigo mesmo, por ter me permitido sentir, com aquela intensidade.

Foi então que eu reencontrei o Marcelo, um amigo de infância. Ele é alto, branco, cabelos pretos, olhos verdes e possui um corpo que chama a atenção de qualquer mulher. Nos encontramos por acaso, em um shopping Center aqui em Salvador. Tomamos um café e marcamos de nos ver no dia seguinte. Era um final de semana, e no sábado, ele se ofereceu para me acompanhar na formatura de uns amigos.

Quando ele apontou na porta da minha casa, para me buscar, nos olhamos de uma maneira...que me assustou. Olhei para os olhos dele, que eram da mesma cor dos olhos daquele por quem eu ainda era loucamente apaixonada. Me senti estranha e com a consciência pesada, mas quem eu estava vendo à minha frente, não era o Marcelo. Meus pensamentos me traíram e trouxeram de volta a imagem de quem eu gostaria que ali estivesse, o Dom. Senti raiva de mim, naquele instante. Não via o meu amigo de infância há uns 5 ou 6 anos mais ou menos. O Marcelo me elogiava a noite inteira, dizia como eu tinha crescido e virado uma mulher de verdade, independente, etc..e eu apenas sorria.

Dançamos, nos divertimos muito e comecei a tomar vinho na festa. Não bebo, apenas em ocasiões especiais, por isso, com pouco álcool, já fico excitada e com certeza, com o Dom na cabeça. Porque é tão difícil fazê-lo sair de meus pensamentos? Eu me culpo sempre por não conseguir. Enquanto dançava com o Celo, era o Dom que eu via. Olhava para aquele par de olhos verdes e minha vontade era beijar. Só que às vezes eu caía em mim e percebia que era outra pessoa e me afastava. Marcelo não entendia as minhas atitudes e eu também não. Mas eu não conseguia agir diferente. Até que nos beijamos pela primeira vez. Foi um beijo demorado e ele me puxava para si, colando seu corpo inteiro no meu. Fechei os olhos e foi o beijo do Dom que eu imaginei. Durante o beijo, um filme passou na minha cabeça. Fazia de tudo para deixar o Marcelo sempre me abraçando por trás na festa ou bem próximo, para que aqueles olhos verdes me "trouxessem" meu Dom por um instante.

Sei que não estava sendo justa com o Marcelo, mas eu simplesmente não consegui. Tentei, mas não consegui. Precisava ter a mesma cor dos olhos? Eles eram muito parecidos no porte físico e a única coisa que os diferenciavam um do outro, era a cor dos cabelos. Em alguns momentos, fiquei triste, mas acho que o álcool não me ajudou com essa tristeza e logo eu estava dançando, beijando e "sentindo o Dom", nas atitudes do Marcelo. A festa terminou e fomos para casa. Celo perguntou se eu me importaria de dormir na casa dele, porque minha casa, fica na região metropolitana da cidade, e como era madrugada, concordei.

Chegamos, ele tomou um banho e foi checar uns emails, enquanto eu fui tomar o meu. Marcelo sempre foi muito respeitador comigo e conhecia bem o tipo de mulher que eu era. Embaixo do chuveiro a água descia junto às minhas lágrimas. Eu acho que chorei tudo que tinha para chorar naquele momento. Não foi um choro de arrependimento de ter ficado com Celo, mas sim.. lágrimas de saudade e de amor pelo Dom.

Ainda sob efeitos do álcool..saí do chuveiro enrolada na toalha e o Marcelo não estava mais no quarto, no computador. Ouvi um barulho na sala e fui a seu encontro. Ele estava no sofá, sentado, sem camisa, de olhos fechados, acho que quase cochilando. Parei em sua frente e fiquei observando. Quando ele abriu os olhos, nos encontramos novamente e senti a mesma sensação estranha que tinha sentido na festa, naquele olhar. Ele não se mexeu. Apenas desceu o olhar e observou meu corpo de cima à baixo.
Em um só movimento, fui até ele, e sentei-me de frente em seu colo, me encaixando ajoelhada e chupando sua língua de maneira intensa e demorada. Suas mãos me puxaram novamente a seu encontro, me fazendo arrepiar. Sua barba por fazer, roçava em meu pescoço e eu já sentia o volume em seu shortinho de dormir. Eu mordia seu ombro e sentia sua mão apertar minha nuca com força. Eu estava em transe, de olhos fechados sentindo intensamente cada toque, cada sussurro. Em meio aquela sessão de amassos, quase pronunciei o nome do Dom..

- Que gostoso D...

Mas percebi e imediatamente intensifiquei os beijos e as carícias. Me levantei, abri a toalha e a deixei cair ao chão. Marcelo me olhava , me comendo com os olhos. Como ele ainda estava sentado no sofá e eu em pé à sua frente... subi no sofá com as pernas abertas, encostei a cabeça dele nas costas do móvel e ofereci minha bucetinha depilada e cheirosinha. Marcelo enlouqueceu. Senti aquela língua ágil e quente na minha fenda, lambendo e mamando deliciosamente. Eu segurava seus cabelos com firmeza e rebolava devagar ditando as regras daquele oral. Eu esfregava minha buceta em seu rosto e ele parecia um menino se lambuzando com doce. De cima, eu olhava para baixo e via apenas os olhos verdes, pois sua boca e seu nariz estavam mergulhados entre as minhas pernas. E novamente, me hipnotizei enxergando os olhos do Dom.


anal morena rabuda


Desci do sofá, virando-me de costas, oferecendo meu rabo para o Marcelo fazer o que quisesse. Inclinei meu corpo um pouco para frente e senti suas mãos abrindo minha bunda e mergulhando novamente em minha buceta. Ele gostava muito de chupar e chupava muito bem. Vez ou outra, sua língua subia pelo meu cuzinho, me fazendo arrepiar. Sentei-me em seu cacete, de costas para ele e senti suas mãos agarrando meus seios por trás. Desci vagarosamente e aquele pau desapareceu em minha bucetinha. Iniciei uma cavalgada gostosa, com os beijos do Marcelo em meu pescoço, me arrepiando completamente. Eu subia e descia, intercalando com reboladas intensas e extraindo gemidos dele. Os bicos dos meus seios estavam entumecidos e os dedos do Celo giravam eles dois, com uma delicadeza quente, que me enlouquecia. Em nenhum momento eu abria os olhos, e o Dom não saía de meus pensamentos. Era com o meu advogado que eu estava naquele momento, sem sombra de dúvidas. Minha cabeça não queria o Marcelo e meu coração sentia apenas o Dom. Ele cheirava meus cabelos, me chamava de gostosa, tesuda e à todo instante frisava o quanto minha buceta estava apertada e quente, e o quanto aquilo estava deixando ele alucinado.
Foi então que ele puxou meus cabelos com força, começou a bater uma siririca gostosa em minha fenda e sussurrou:

- Cachorrinha! Goza pra mim?

As lágrimas desceram instantaneamente. Era assim que o Dom falava comigo! Sempre me chamava de cachorrinha e pedia pra eu gozar gostoso pra ele. Nossos movimentos se encaixaram e a siririca ficou cada vez mais intensa. Gozei! Explodi em orgasmos escandalosos e seguidos. O Marcelo segurava meu corpo, que tremia involuntariamente. Quase pronunciei o nome do Dom de novo. Celo me enchia de beijos, cheiros e carinhos e nesse momento, passado o êxtase do gozo, percebi que tinha que dar prazer à pessoa que estava comigo. Ele tinha me chamado de cachorrinha, então me desencaixei, fiquei de quatro no tapete à nossa frente e me ofereci toda abertinha. Marcelo imediatamente ajoelhou-se atrás de mim e posicionou o cacete, socando de uma só vez dentro da minha buceta molhada. Eu rebolava loucamente, sempre de olhos fechados. Fodi aquela pica, com muita vontade.

Era o Dom que estava em minha cabeça e eu queria matar aquela saudade. Rebolei como uma puta. Pedi para ele ficar parado e intensifiquei um vai e vem delicioso naquele pau. Se debruçou sobre meu corpo e me puxava para ele, através dos meus peitos. Voltou à posição inicial e gemia, dava tapas em minha bunda, acariciava meu cuzinho. Não percebendo resistência de minha parte, tirou a pica da minha bucetinha e posicionou no meu cu. Rebolei como uma cadela no cio.

- Vou foder esse cu, minha cachorrinha!

Eu enlouqueci. Senti aquela tora me rasgando, entrando até o final em meu cuzinho. Eu gemia, gritava e pedia mais, com voz de puta. Ele cessava os movimentos e ficava apenas com a cabeça da pica na entrada do meu rabo, me fazendo implorar para ser fodida. Eu rebolava mais, tentando fazer aquele membro duro adentrar em meu rabo. Então, depois de muito pedir, ele voltava a entrar em mim. Marcelo bombou cada vez mais forte e anunciou seu gozo. Encheu meu cuzinho de porra quente e caiu em cima de meu corpo no tapete. Ele adormeceu na mesma hora e eu sussurrei um pouco inconsciente:

- Te Amo, Dom.

Apaguei junto com ele e dormimos até as doze horas do dia seguinte.

Quando acordei, Marcelo estava a meu lado, me olhando e me desejando bom dia com um sorriso lindo.

Me abraçou e questionou:

- Quem é Dom?

Autor: Baiúchinha
Fonte: casadoscontos.com.br
O patrão ficou maluco!
Cupom de desconto do novo parceiro do ProjetoPornô: P10D2AAP
Acesse www.produtosimportadosbr.com.br e aproveite o nosso desconto!


views 1900


tags:

baiana 

bunduda 

rabuda 

bebada 

chapada 

carícias 

rabo 

anal 

oral 

gozada 

gemido 

d4 

quatro 

rebolando 

cavalgando 




Novidades:




  Contos Eróticos Relacionados

Cu de bêbada tem vários donos

Aquilo começou a ficar cada vez mais louco quando percebi que todos estavam sem roupas e começamos a...

views 4428

Tomando muito gosto pelo sexo anal

As mãos dele me apalpando, as palavras ora doces ora agressivas sendo sussurradas...

views 2370

Arrombando o cú de uma patricinha

Depois de muito socar em sua buceta, resolvi pedir pra fuder o botãozinho dela, ela ligeiramente disse...

views 5590

Delícia de Prima...

E no decorrer dos anos pude ver Juliana, de menina se transformar numa mulher muito, mas muito gostosa...

views 2682

Liberando o cuzinho para ele!

...pegou o lubrificante melou meu cuzinho com delicadeza e colocou o dedo depois melou o pau dele e começou a...

views 3621
 
 
Parceiros & Links Recomendados Recomendados!

1. 2. 3. 4. 5.
6. 7. 8. 9. 10.
11. 12. 13. 14. 15.
16. 17. 18. 19. 20.
21. 22. 23. 24. 25.
26. 27. 28. 29. 30.
31. 32. 33. 34. 35.
Videos De Putaria     KiNovinhas     http://www.rodiziodegatas.net/     CNN Sexo     xvideos porno     Novinha Tesuda

> Xvideos Pornos        > Só Putinhas        > Brasileiras Putas        > Mulheres a foder

> Comendo sua Mãe        > Gatas Quentes        > Portal da Putaria        VAZOU NO WHATSAPP


*ATENÇÃO: Clique aqui para entrar em contato conosco para denunciar um site acima que tenha conteúdo ilegal/malicioso ou contaminado!
> Clique Aqui e cadastre-se para se tornar um Parceiro do Projeto Pornô® <
 
 
    porno     pornô     videos porno     fotos eroticas     sexologia     contos eroticos     gostosas     novinhas

    amadora     xoxota     buceta     atriz porno famosa     sexo oral     bunda     traição     bundas

    xoxota     sexo oral     putaria     bucetas     porno    bucetinhas    contos eróticos
 
Violência Contra a Mulher: DENUNCIE! Todos Contra a Pedofilia!
Site Proibido Para Menores de 18 anos! Site Proibido Para
Menores de 18 anos!
Copyright © ProjetoPorno.com.br, Todos Direitos Reservados  -  Contato   Retirar Conteúdo
Melhor Visualizado na resolução: 1024 x 768 px.